Um dos “pássaros perdidos” mais indescritíveis do planeta é avistado na Colômbia

Um dos “pássaros perdidos” mais raros do planeta Terra foi avistado pela primeira vez em anos, dando aos conservacionistas a esperança de que a linda espécie possa não estar tão sumida quanto se pensava.

O Campylopterus phainopeplus – um beija-flor verde esmeralda e azul elétrico – foi recentemente capturado na câmera por um observador de pássaros local nas montanhas de Sierra Nevada de Santa Marta, na Colômbia, de acordo com um anúncio da Rewild.

“Este avistamento foi uma surpresa completa, mas muito bem-vinda”, disse Yurgen Vega, que fez a redescoberta estudando aves endêmicas na Serra Nevada de Santa Marta.

“Ao sair da área onde estava trabalhando, um beija-flor me chamou a atenção. Peguei meus binóculos e fiquei chocado ao ver que era um sabre-de-santa-marta, e em um incrível golpe de sorte o beija-flor empoleirou-se em um galho me dando tempo para tirar fotos e filmar.”

Um dos "pássaros perdidos" mais indescritíveis do planeta é avistado na Colômbia

A espécie é tão elusiva que só foi documentada na natureza algumas vezes: uma vez quando foi descoberta por cientistas em 1946 e novamente em 2010, quando as primeiras fotos da espécie na natureza foram tiradas. Houve um punhado de possíveis avistamentos ao longo dos anos, mas eles nunca foram confirmados.

Temendo que o pássaro pudesse ter caído em extinção, a espécie foi adicionada ao projeto Re:wild Search for Lost Birds, que se propôs a encontrar 10 pássaros que não tiveram um avistamento confirmado em uma década ou mais.

“É tão incrível ver fotos e vídeos do sabe-de-santa-arta”, disse John C Mittermeier, diretor de divulgação de espécies ameaçadas da American Bird Conservancy.

“É como ver um fantasma. Quando anunciamos os 10 pássaros perdidos mais procurados no ano passado, esperávamos que isso inspirasse os observadores a procurar essas espécies. E, como mostra essa redescoberta, às vezes espécies perdidas ressurgem quando menos esperamos. Espero que redescobertas como essa inspirem ações de conservação.”

Quase nada se sabe sobre o animal, exceto que ele vive nas florestas neotropicais úmidas das montanhas de Sierra Nevada de Santa Marta, em uma altitude entre 1.200 a 1.800 metros.

Eles são relativamente grandes para um beija-flor e podem ser distinguidos por suas vibrantes penas verdes e pescoço azul iridescente. Eles também assobiam uma música distinta, que Vega ouviu quando capturou as fotos recentes.

Embora esse avistamento seja promissor, a espécie ainda está com muitos problemas e permanece listada como “criticamente ameaçada” na Lista Vermelha da IUCN. Os pesquisadores suspeitam que a população de sabres-de-santa-marta seja muito pequena e provavelmente está diminuindo.