O “bunker do juízo final”: o cofre que protege os alimentos de todo o mundo

Em centenas de filmes de ficção científica, o ser humano revive o dia do acerto de contas repetidamente. Embora não saibamos exatamente por que, quando e como a humanidade será extinta, a sociedade científica está preparada caso precise de alguma ajuda. Afinal, a realidade não está tão longe do cinema e as teorias sobre um dia de catástrofe global continuam a alimentar os projetos do futuro. O melhor exemplo é o “cofre do juízo final”, uma estrutura que protege todos os tipos de alimentos e que ano após ano recebe novas sementes.

O Silo Global de Sementes de Svalbard recebeu o apelido de “bunker do juízo final” por ser o local de proteção em caso de desastre, do maior tesouro que a humanidade possui; sementes de todos os tipos de alimentos. Atrás dos portões gelados de Svalbard há um imenso abrigo das sementes mais importantes para o caso de, após um cataclismo, perdermos parte da biodiversidade das plantas cultivadas.

o cofre que protege os alimentos de todo o mundo
Reprodução

Está localizado na solitária ilha de Svalbard, localizada entre o continente norueguês e o Pólo Norte. Também é conhecida como a “câmara do juízo final”, pois é capaz de resistir a terremotos, radiação, erupções vulcânicas, impactos de bombas e todos os tipos de desastres naturais e causados ​​pelo homem. Não poderia ser de outra forma, pois dentro de suas câmaras subterrâneas está o maior tesouro da humanidade.

Tem uma área de mais de mil metros quadrados que se dividem entre três armazéns subterrâneos. Juntos, eles representam o maior banco de sementes do mundo, com capacidade para quase 5 milhões de amostras. As sementes são armazenadas em embalagens especializadas de alumínio, a uma temperatura de -18° C. Isso graças a um sistema de refrigeração artificial, para que possam ser armazenadas por séculos ou até milênios.

Mas, Svalbard é à prova de tudo; no caso de a energia elétrica falhar como resultado de um desastre, o permafrost circundante faria seu trabalho. O gelo da ilha manteria as sementes a -3°C, temperatura suficiente para preservar as sementes.

No caso de a energia elétrica falhar como resultado de um desastre, o permafrost circundante faria seu trabalho. O gelo da ilha manteria as sementes a -3°C, temperatura suficiente para preservar as sementes.

O Silo Global de Sementes de Svalbard atualmente protege mais de 1 milhão de amostras de sementes no total. Todos eles foram depositados dentro das câmaras subterrâneas durante os últimos 13 anos.