Depois de 20 anos ele descobre que sua mãe biológica era sua colega de trabalho

A história de hoje é sobre um jovem dos Estados Unidos de 20 anos que vivenciou uma situação inesperada: após muitos anos procurando ela, descobriu que sua mãe era sua própria colega de trabalho e que eles estavam muito mais perto do que podiam imaginar!

Benjamin Hulleberg foi adotado por Angela e Brian Hulleberg e desde sempre soube do fato. Inclusive ele sabia o primeiro nome de sua mãe biológica, Holly. O jovem alega nunca ter tido rancor de sua mãe, pois sempre que falavam sobre a situação de adoção, eram conversas muito positivas. O que motivou ele a procurar sua mãe foi a curiosidade de saber quem ela era.

Holly havia tido Benjamin com apenas 16 anos e seu filho nasceu na época de Ação de Graças. Ela afirma que, após vinte anos, o filho sempre estava em sua cabeça, sobretudo quando era época de ação de graças – que também seria o aniversário dele – ela ficava imaginando onde e como ele estaria.

Holly diz que acompanhou os primeiros três anos da vida do filho através de cartas e fotos enviadas, mas depois não soube mais sobre ele. Ela decidiu não ir atrás para não “ser uma pedra no sapato” dele e da família, mas mesmo assim não parava de pensar nele.

Depois de 20 anos ele descobre que sua mãe biológica era sua colega de trabalho
Foto: reprodução

Quando cresceu, Benjamin escreveu cartas, se inscreveu em um registro de adoção e até fez um teste de DNA na esperança de encontrar a mulher que ele conhecia apenas como Holly.

E à medida que sua busca avançava, no dia de seu aniversário de 20 anos, Benjamin recebeu uma mensagem no Facebook. Um usuário com um nome conhecido o parabenizou. O jovem sentiu que esta mulher poderia ser sua mãe e… ele não estava errado!

Ele se lembra exatamente do dia que recebeu a mensagem e, no meio da conversa, ambos perceberam que trabalhavam juntos no centro médico St. Mark’s da HCA Healthcare em Salt Lake City porém em setores separados: Holly é médica assistente no The Heart Center em St. Mark’s, enquanto Benjamin era voluntário na unidade de terapia intensiva neonatal do hospital.

“Todas as manhãs, eu entrava na ala feminina para ir trabalhar, passava pela UTI neonatal todos os dias…. estacionamos nossos carros na mesma garagem, poderíamos estar no mesmo andar, mas não tínhamos ideia de que estávamos tão próximos”, disse Benjamin.

Depois de 20 anos ele descobre que sua mãe biológica era sua colega de trabalho
Foto: reprodução

Desde que reencontrou com sua família biológica, Benjamin está em contato com seu meio-irmão e meia-irmã mais nova e também com Holly. A relação de todos é saudável e ambos estão muito felizes com o reencontro.